domingo, 18 de janeiro de 2015

Bem Aventurados os que choram...

Antes de explanar qualquer coisa sobre esta frase de Jesus, que à primeira vista, causa um impacto pelo tom paradoxo, quero dizer algo sobre o contexto em que essa frase está inserida. Está em questão aqui, o Sermão do Monte, que podemos definir como a Singularidade de Cristo e Seus princípios, certamente é o maior sermão já pregado em toda a história da humanidade, cuja mensagem são as boas-novas do Reino de Deus. Jesus teve o cuidado de fazer uma explanação pedagógica aos seus discípulos, das bases que constituem o modelo de vida do Reino, antes de consolidar a Igreja, ou seja, a Igreja é formada por cidadãos do céu, que são o sal da terra, a luz do mundo, como uma cidade edificada sobre um monte, e não há como viver qualquer uma dessas definições sem modificar o mundo ao seu redor, sem influenciar aos que estão perto. Não podemos nos contentar em ser cristão somente dentro da igreja, mas nos esforçarmos para fazer a diferença na sociedade em que vivemos. Mas para que isso possa acontecer,  devemos entender o que o nosso Mestre nos ensinou.
O Sermão do Monte contém a essência do ensinamento moral e ético de Jesus, e é um desafio para aqueles que querem uma mudança radical de vida, mas nosso foco principal, é sobre as Bem-aventuranças, e em especial sobre aqueles que choram. As beatitudes, como também é conhecida, significa como a própria palavra diz, abençoado, feliz, ou como define o Aurélio, diz-se daquele que, depois da morte, desfruta da felicidade celestial e eterna. Ser bem aventurado, extrapola a alegria terrena ou material, é desfrutar, antes de tudo, da bênção da salvação eterna com Deus.

Bem Aventurados os que choram...
Ao analisarmos essa frase de Jesus, salta aos nossos olhos uma curiosidade muito grande, para tentar entender onde cabe ser feliz por chorar. Na definição do Aurélio, chorar significa derramar lágrimas, soluçar; afligir-se, sentir remorsos ou arrependimento, lamentar a perda de algo ou de alguém, prantear. Então como posso ser bem aventurado, ou feliz, por chorar?
Somos humanos e limitados, e por conseguinte, impotentes diante de muitas situações, onde não temos controle da maioria das circunstâncias, que nos deixam paralisados, e muitas vezes sem atitudes, e a única coisa que nos resta, realmente é chorar.

1 – O Choro da Angústia ou Aflição

- Agar chorou de aflição, quando descobriu estar grávida, e Sara a afligiu....

- Muitas são as aflições do justo......mas o Senhor o livra de todas. Salmos 34:19
O termo usado por Davi para aflição aqui é a palavra hebraica é ..ra´.. que significa MAU, adversidade, calamidade, dano, pesaroso, é um adjetivo que significa NOCIVO, essa palavra tem um significado para mau, no sentido ético e moral, absoluto e negativo. Esse termo assume o aspecto de alguma coisa desagradável, prejudicial ou nociva. Portanto, É o Senhor realmente quem pode nos livrar da essência do mal.

- Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.
Ao mencionar essas palavras, Jesus encerra suas instruções aos discípulos, antes da oração sacerdotal. Jesus deixa claro, que niguém está isento de aflições, de lutas, de provações, da passagem pelo deserto, ou seja, estamos sujeitos as mesmas condições que todo ser humano está, por isso, choramos, nos angustiamos, nos afligimos, ficamos tristes, deprimidos e muitas vezes em depressão. O termo aqui usado por Jesus é a palavra grega Thlipsis que significa PRESSÃO. Neste mundo estamos sendo pressionados, apertados, além da opressão maligna.
- Qual é a Aflição que te incomoda? Que Angústia te perturba?

2 – O choro da INCAPACIDADE
O lamento que desperta o Senhor é o prantear da insuficiência. Agar tinha chorado quando soube que estava grávida, de angústia pela opressão de Sara, mas muito mais quando ela foi forçada a ir embora, com o menino no colo, e quando os recursos já tinham se esgotado, ela o colocou embaixo de uma árvore e se ausentou para que não o visse morrer, ali ela derramou as lágrimas da incapacidade. Ana, chorou também, pela incapacidade de dar filhos ao seu marido.

3 – O Choro do Arrependimento
Depois que enxergamos nossa incapacidade diante das angústias e aflições, e entendemos que razão da nossa insuficiência é o pecado arraigado em nossa existência, somos confrontados com a condição de nossa miséria espiritual, a única reação possível é o choro, e quando choramos nessa condição é porque estamos arrependidos, e essa atitude nos prepara para a misericórdia que o Senhor nos concede por meio do Seu perdão.    
De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados. Lm 3:39
Como nós temos deixado de chorar, arrependidos pelos nossos pecados. Temos chorado por tantas coisas, muitas justificáveis, mas o choro tem se tornado algo superficial e material. Pessoas choram por coisas tão banais e cada vez mais o deus desse mundo tem cegado o entendimento dos incrédulos para que não vejam a luz do evangelho e a glória de Jesus Cristo.

Devemos chorar primeiro pelo nossos pecados, pelos pecados da nossa nação, para que se cumpra o que disse Deus: se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e sararei a sua terra. (2 Cr 7:14)

Precisamos chorar para que possamos ser sarados, precisamos chorar para que nossa nação seja sarada. Não temos chorado, e ao invés disso, temos criticado, julgado e cada vez mais distantes de alcançarmos a cura e o perdão de Deus. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.....


Porque eles serão consolados...

Deus quer trocar nosso choro de aflição, de incapacidade e de arrependimento pelo choro da alegria.....
E é por isso, que ao nos arrependermos, o nosso Consolador pode entrar em ação, e podemos dizer:
1. A alegria do Senhor é a nossa força. “porque a alegria do Senhor é a vossa força” (Ne 8.10).

2. Alegria eterna coroará a nossa cabeça. “Os resgatados do Senhor voltarão e virão a Sião com cânticos de júbilo; alegria eterna coroará a sua cabeça; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido” (Is 35.10).

3. Com alegria nós sairemos e em paz nós seremos guiados. “Saireis com alegria e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cânticos diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas” (Is 55.12).

4. Recebemos óleo de alegria em vez de pranto. “e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória” (Is 61.3).

5. A nossa alegria ninguém poderá tirar. “Assim também agora vós tendes tristeza; mas outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar” (Jo 16.22).

Filipenses 4.4: “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos”.